SOBRECARGA: A sobrecarga é o prolongamento do fornecimento de energia elétrica além do instante final da carga. Podendo ocorrer tanto nos veículos quanto nos aparelhos estáticos de carga. Em geral a tensão admissível deve estar em 13,5 à 14,5 volts. Este fato ocorre comumente nos veículos com os Reguladores de Voltagem danificados permitindo a sobrecarga. Isto caracteriza-se com a elevação da temperatura e voltagem em circuito aberto, com isso há queima dos separadores e desagregando por completo a bateria.Portanto, esse problema NÃO é caracterizado como DEFEITO DA BATERIA e sim do Regulador de Voltagem do veículo. 

BATERIA NÃO SEGURA CARGA: A bateria só deixa de armazenar a carga quando a mesma perder totalmente a parte metálica que sustenta a massa ativa ou por curto-circuito de algum dos vasos. Se analisarmos uma bateria internamente veremos que este tipo de defeito ocorre devido a SOBRECARGA que a mesma sofreu, depositando a matéria ativa no fundo do monobloco ou ainda pelo envelhecimento normal da mesma. 

DENSIDADE ALTA: Este tipo de problema geralmente ocorre quando a bateria tem seu eletrólito adulterado, existe explicações técnicas tanto físicas quanto químicas.

SULFATAÇÃO DAS PLACAS - PLACAS DURAS: A sulfataçâo das placas positivas de uma bateria é um fenômeno natural devido a descarga da mesma, e só é considerado como defeito quando por ocasião da carga da bateria o sulfato de chumbo não se transforma em matéria ativa, ou seja, o elemento não se carrega.

CORROSÃO DAS GRADES DAS PLACAS POSITIVAS: Devido a baixa resistência física da matéria ativa da placa positiva, a mesma é agregada sobre grades formadas por ligas de chumbo. De maneira geral, a corrosão ocorre quando há prolongada utilização da bateria ou seja, pelo uso normal.

CRESCIMENTO E DOBRAMENTO DAS PLACAS: Este tipo de defeito ocorre com maior frequência nas placas positivas da bateria. É causado pela não observação das especificações para utilização e pelo processo inadequado de produção de grade, massa ativa, formação elétrica, carga e descarga da bateria. Convém salientar que o crescimento e dobramento das placas positivas está associado à corrosão da grade.

PERDA DO MATERIAL ATIVO: A perda do material ativo consiste no desprendimento da massa ativa da grade em forma de dióxido e sulfato de chumbo sob forma de finos grãos ou cristais. A perda prematura deste material inutiliza a bateria completa mente.

ELETRÓLITO CONTAMINADO: A contaminação do eletrólito com agentes estranhos, principalmente sais metálicos e substâncias orgânicas, aumenta consideravelmente a corrosão das placas e separadores, Este tipo de defeito ocorre quando se coloca água de torneira, mesmo a água filtrada não deve ser usada, jamais coloque qualquer solução ácida ou deixe cair dentro dos vasos pedaços de estopa, ferro, cobre, panos, madeiras ou papel, são substância orgânicas e contaminam o eletrólito.

OXIDAÇÃO DA PLACA NEGATIVA: A oxidação da placa negativa faz com que a mesma perca suas características originais. Este defeito não é muito comum, porém, quando ocorre, danifica totalmente a bateria.

AUTO-DESCARGA: Denomina-se auto-descarga de uma bateria a descarga que se processa sem que a mesma esteja ligada alimentando algum consumidor ou esteja em estoque.

OXIDAÇÃO DOS PÓLOS: Este problema ocorre devido a sulfatação do terminal que é conectado à bateria e o terminal de chumbo com o ácido sulfúrico do eletrólito.

DESPRENDIMENTO ANORMAL DE GASES: causas prováveis:

- Tensão de carga excessivamente alta

- Sulfataçâo intensa das placas

AUTO-CIRCUITO: Este defeito é caracterizado pelo contato íntimo entre as placas positivas e negativas do elemento, podendo ocorrer também por objetos estranhos introduzidos no interior do elemento.

CIRCUITO INTERROMPIDO (CORTADO): Este defeito caracteriza-se pelo rompimento de ligação interna ou externa dos elementos. A causa mais provável é o fechamento de curto-circuito da bateria com cabos ou chave de aço entre os pólos da bateria.

EXPLOSÃO DA BATERIA: Este fato não se define com defeito da bateria, o mesmo se caracteriza devido ao desprendimento de gases de hidrogênio e oxigênio durante o processo normal de carga. Quando se fala em explosão de bateria temos que associar algumas causas e efeitos para tal.

GASES INFLAMADOS: Os gases que são liberados durante o processo normal de carga são: Hidrogênio em maior quantidade e o Oxigênio, os quais explodem com violência ao contato com uma FAÍSCA ou CHAMA.

GASES COMPRIMIDOS: Quanto aos gases comprimidos dentro dos vasos da bateria também podem causar uma explosão, devido à obstrução dos orifícios de saída de gases.